Vereador diz que ‘macumba’ atrapalhou o governo municipal: ‘Está completamente às escuras’

O vereador Edvaldo Lima, em mais um discurso polêmico na Câmara de Vereadores, declarou que depois que fizeram um trabalho de feitiçaria contra o prefeito Colbert Martins, a prefeitura começou a desandar e o gestor ficou mais perdido que cego em tiroteio.

“Recentemente toda a sociedade de Feira de Santana tomou conhecimento através da televisão que botaram um galo preto todo melado de óleo, um bozó, que botaram na frente da prefeitura, que certamente atrapalhou a vida do governo. Daí pra cá o governo não teve mais condição de trabalhar pela cidade, abandonou por completo, e nomeou um prefeito pra assumir a prefeitura, que é Denilton Brito. O governo está completamente às escuras, e o homem quando está na escuridão, não consegue avançar e vai bater o rosto contra a parede. O que ele tem que fazer é buscar o poder divino para resolver o problema dele, que hoje não é só material, é espiritual”, afirmou o vereador, utilizando a tribuna da Casa Legislativa.

O vereador afirmou ainda que dentro da prefeitura tem várias pessoas que ‘mexem com macumba ao lado do prefeito’.

“Tem macumbeiro dentro da prefeitura. No governo José Ronaldo, tinha secretário que era evangélico. Nesse governo não tem ninguém, ele tirou todos os evangélicos. E olha que foram os evangélicos que deram a eleição a esse cidadão, ao prefeito. E aí ele levou pra dentro da prefeitura várias pessoas da macumba, e agora está perdido, não sabe pra onde vai. Então eu sugeri na tribuna da Câmara, me coloquei à disposição, para ir lá orar por ele, juntamente com irmãs do círculo de oração, que passam o tempo em oração pela cidade, pela nação. E levaram o nome dos vereadores para outra cidade do recôncavo para fazer macumba”, declarou.

Diante dos últimos ‘acontecimentos’, Edvaldo Lima disse que se colocou à disposição do prefeito para ‘tirá-lo da escuridão’.

“Eu espero que ele reconheça que é dependente de Deus e sem Ele não vai para lugar nenhum. Estou pronto para ajudá-lo a sair da escuridão, levando as mulheres do círculo de oração. Já o galo desapareceu da frente da prefeitura, certamente levaram para sacrificar. E cadê os defensores dos animais, que nada fizeram? Tenho um projeto nesta Casa aqui justamente para impedir o sacrifício de animais para botar nas encruzilhadas, em praças públicas, sujando o meio ambiente e trazendo problemas à sociedade. Eu não tenho medo de macumba, jogaram na minha casa, e eu devolvi a eles”, finalizou.

Fonte: Acorda Cidade