Programa Primeira Mão debate gestão de Roberto Torres em Alagoinhas

Uma decepção! Assim pode ser definida a gestão do vice-prefeito Roberto Torres (PSD),à frente da Prefeitura Municipal de Alagoinhas, cidade que fica localizada a 130 quilômetros de Salvador. Esse é o sentimento da população nas diversas localidades do município.

Para analisar esse momento vivido pela gestão municipal, a bancada do Programa Primeira Mão, da Rádio 2 de Julho, que também é transmitido pela rádio Ouro Negro 100,5 FM, comandada pelos radialistas Caio Pimenta, José Gomes e Chico Reis fizeram um raio X dos problemas de Alagoinhas, nesta terça-feira (13).

Postulante a uma vaga como deputada estadual e reconhecidamente com experiência na Secretaria de Serviços Públicos (SESEP), na gestão anterior, o vice-prefeito Roberto Torres não consegue manter um bom desempenho e transformar Alagoinhas em um verdadeiro canteiro de obras.

Basta circular pelas ruas e bairros da cidade para perceber que serviços essenciais como limpeza pública, poda de árvores e até mesmo a manutenção do cemitério Jardim da Saudade, deixam a desejar. O radialista Caio Pimenta resumiu bem essa realidade: “a cidade está feia e muito mal tratada”, afirmou.

E os problemas não param por aí, a Secretaria de Infraestrutura também tem sido alvo de críticas por conta dos inúmeros buracos que só aumentam. Na avaliação de Chicho Reis, “a Prefeitura não está cuidando dos vivos, quem dirá dos mortos”, destacou.

No entendimento da bancada do Programa Primeira Mão, na pessoa de Chico Reis, o período de chuvas não contribui para a realização de serviços de pavimentação, porém se a administração municipal tivesse realizado a contratação de empreiteiros locais, haveria uma maior sensibilidade para planejar as obras com antecedência e evitar as condições meteorológicas características do inverno baiano.

Com relação à situação de abandono do Cemitério Jardim da Saudade, o radialista José Gomes ironizou, “aquele é um tipo de público que não reclama”, pontuou. Outra situação que vem sendo realizada com morosidade é a poda de árvores no bairro Pedro Braga, com 40% apenas do trabalho realizado.

É preciso recuperar o tempo perdido e a gestão municipal, também representada pelo vice-prefeito Roberto Torres, tem a oportunidade, por intermédio de obras, de corresponder à expectativa de cada eleitor que elegeu os atuais gestores. Transformar a cidade em um canteiro de obras e colocar o município nos trilhos do desenvolvimento é o que cada cidadão alagoinhense espera.

Fonte: Plantão Bahia