Alagoinhas: Ambulâncias queimadas em incêndio estavam inapropriadas para uso e seriam descartadas em sucata, diz prefeitura

A Prefeitura de Alagoinhas traz esclarecimentos a respeito do incêndio ocorrido no dia 12 de março, que atingiu a sucata de antigas ambulâncias do SAMU e da frota municipal. A Secretaria de Administração (SEMAD) já havia montado uma comissão de avaliação técnica patrimonial para fazer a baixa dos veículos, que, em 2018, iriam à leilão. No entanto, pelo estágio avançado de deterioração, não foi possível, sendo avaliado o processo de deliberação da sucata.

A visita técnica para regularização da situação das ambulâncias, inapropriadas para uso, já estava marcada, quando ocorreu o incêndio que atingiu parte do Parque de Exposições, local onde os veículos estavam guardados. A suspeita é de que o fogo tenha se alastrado de uma queima de lixo, feita, comumente, por moradores de uma invasão, próxima ao local.

Logo após o incidente, a SEMAD solicitou ao Corpo de Bombeiros que emitisse uma certidão de ocorrência. No entanto, no documento não constava nenhum parecer técnico, somente o relato da demanda. Isso se deu porque o Corpo de Bombeiros da Bahia não tem expertise para expedir esse tipo de laudo, conforme foi explicado posteriormente.

Sendo assim, em busca de esclarecer as causas do incêndio e averiguar se ele foi provocado por motivos naturais ou com intenção criminosa, foi solicitado um laudo técnico do Departamento de Polícia Técnica (DPT) da Polícia Civil, mediante Boletim de Ocorrência.

O prazo para expedição do lado é de uma semana à 15 dias. Caso seja apurada a intencionalidade no ocorrido, será feita uma acariação, visto que o fogo atingiu um bem público.

Primando pela transparência, a gestão Joaquim Neto reitera o compromisso com a população e mantém abertos os canais de comunicação com a imprensa, para sanar quaisquer dúvidas.

Fonte: SECOM PMA