Maconha sai da lista de drogas mais perigosas do mundo; Brasil votou contra

A Comissão de Drogas Narcóticas das Nações Unidas retirou nesta quarta-feira (02) a maconha e a resina derivada da cannabis da lista das substâncias mais perigosas do mundo.

A ONU reconheceu os benefícios da substância e atendeu a uma recomendação realizada em janeiro de 2019 pela Organização Mundial da Saúde.

A maconha agora deixa a lista 4, que contem ainda benzodiazepínicos, GHB, anfetamina, cigarro, cocaína, meta anfetamina, crack, heroína e o álcool.

Agora, integra a lista 1, que inclui outros entorpecentes como a morfina, que a OMS também recomenda controle, mas admite que a substância tem menor potencial danoso.

Em nota, o Ministério da Cidadania do Brasil afirmou que o país votou contrário à decisão. O ministro da pasta, Onyx Lorenzoni, acompanhou o evento ao vivo e, nas redes sociais, explicou a votação contrária.

“Qualquer afrouxamento desse tipo de substância vai piorar o quadro de uso de recreativo da maconha e terá consequências devastadoras para toda a sociedade brasileira”, disse o ministro.

“Atuamos na proteção da família e da vida humana. Aceitamos, reconhecemos e já temos legislação para dar atendimento aqueles pacientes que se beneficiam do canabidiol nas crises convulsivas, mas de maneira nenhuma o governo do presidente Jair Bolsonaro concorda com qualquer outra ação para flexibilizar em território brasileiro o uso da maconha”, explicou Lorenzoni.

Fonte: Varela Notícias