A Prefeitura divulgou, através da Secretaria Municipal de Saúde, o boletim diário com informações sobre a situação epidemiológica do novo coronavírus em Alagoinhas.

Dadosatualizados nesta sexta-feira (18) revelam que sobe para 5.312 o quantitativo de pacientes recuperados no município – o que corresponde a uma taxa de recuperação superior a 95%.

Os indicadores mostram que 20 homens, na faixa dos 3 aos 74 anos, e 26 mulheres, com idades entre 2 e 106 anos, tiveram, hoje, diagnóstico confirmado para COVID-19. Um dos pacientes identificados deu entrada na UPA Santa Terezinha; os demais seguem em isolamento domiciliar, monitorados pelas equipes de saúde, ou seja, foram orientados e contatados pelos profissionais de Vigilância, que realizam o mapeamento dos casos confirmados, conforme protocolos estabelecidos.

A Vigilância informou ainda um novo óbito em decorrência da COVID-19. A paciente de 81 anos estava internada no Hospital de Campanha Fonte Nova, em Salvador, tendo evoluído a óbito no dia 19 de agosto de 2020. A morte foi registrada hoje no sistema.

Entre os casos confirmados para coronavírus, Alagoinhas totaliza 11 pacientes internados: 3 no Hospital das Clínicas de Alagoinhas (HCA), 1 no Instituto Couto Maia, 2 no Hospital Espanhol, 1 no Hospital Santa Izabel, 2 no Hospital de Campanha da Fonte Nova, 1 no Hospital da Sagrada Família e 1 na UPA Santa Terezinha.

Outras 90 pessoas aguardam resultados do Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN), para onde são encaminhadas as amostras.
Com a atualização, o município registra 157 casos ativos. Isso significa que aproximadamente 3,2% dos pacientes diagnosticados com COVID-19 que devem permanecer em isolamento, porque ainda podem transmitir o vírus.

No que se refere aos casos descartados para coronavírus, a cidade chega a 9.308 moradores que testaram negativo para COVID-19 e contabiliza 2.985 monitoramentos concluídos, após investigação epidemiológica.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o crescimento sensível de registros da COVID-19 na região do 2 de Julho, no Sauípe e no Rio Branco é reflexo das ações de inquérito epidemiológico nessas localidades, quando equipes realizaram a testagem sorológica de moradores e também a coleta para exames de biologia molecular (RT-PCR). Ao contrário dos testes rápidos, cujo resultado é informado no mesmo dia, apenas alguns minutos após a coleta, o PCR busca identificar o material genético do vírus para diagnóstico da doença e exige maior tempo de análise laboratorial. De acordo com a secretaria, por meio das ações de inquérito é possível identificar pessoas que foram expostas ao vírus – o que é fundamental para mapear o avanço da doença e assegurar o isolamento, evitando a propagação do SARS-CoV-2. A SESAU reitera ainda que profissionais de Vigilância adotam, em integralidade, as normas técnicas emitidas pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, no que tange às notificações e indicadores da COVID-19.

Fonte: Secretaria Municipal de Saúde – Vigilância Epidemiológica