A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, levou pautas de sua base evangélica para a pasta que comanda. A ministra pretende lançar um guia para fortalecer “vínculos conjugais e intergeracionais”. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

A pasta não detalhou com que abordagem será feito o guia, o que preocupa técnicos e políticos, que têm medo de que o governo produza um conteúdo de ideologia bolsonarista ao invés de algo estudado por especialistas. Além disso, há o receio de que se ponha de lado famílias que não fazem parte do “tradicional”.

“Seria melhor que, em vez de vínculos intergeracionais, usassem vínculos de parentesco. Me parece uma expressão inadequada e excludente. A ideia é boa e bem intencionada. Espero que seja um programa que não discrimine e não exclua as novas representações sociais da família”, afirmou o presidente do Instituto Brasileiro de Direito de Família, Rodrigo da Cunha Pereira, ao jornal.

Por meio de nota, a pasta entrou em defesa ao programa. “Muitos problemas sociais podem ser evitados com o devido protagonismo da família, desde o preconceito até a violência, passando pelos desequilíbrios afetivos que, em muitos casos, fundamentam o recurso a drogas e outros subterfúgios”, disse.

Fonte: Varela Notícias