Inscrição em site para receber Auxílio Cidadão de R$ 200 é golpe

Em meio a tantas fake News em circulação no País, o Governo Federal alerta sobre um golpe que vem sendo aplicado na internet. Trata-se de falsa notícia sobre a existência de cadastramento para que pessoas recebam o “Auxílio Cidadão”. Circula pelas redes sociais uma mensagem que indica um site para que pessoas de baixa renda possam se cadastrar para receber ajuda mensal de R$ 200 por causa da pandemia do coronavírus.

O Ministério da Cidadania adverte que a mensagem é falsa. As pessoas não devem, de forma alguma, inserir os dados pessoais. O site não é do governo federal.

Existe, de fato, um projeto de lei que prevê um suporte de R$ 200 por pessoa, por três meses, para auxiliar trabalhadores informais, desempregados e microempreendedores individuais (MEIs) que integrem famílias de baixa renda. Mas ele ainda depende da aprovação no Congresso Nacional. Ou seja, nem em vigor está.

A medida tem previsão de beneficiar de 15 a 20 milhões de brasileiros e estima injetar até R$ 5 bilhões por mês na economia, custeados com recursos da União.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, informou que não está medindo esforços para auxiliar a população neste momento. “Dá nossa parte. Estamos criando um voucher de R$ 200 reais para 20 milhões de pessoas. Estamos aplicando nessa área”, ressaltou.

Já o secretário de política econômica do Ministério da Economia, Adolfo Saccida destacou que os efeitos da crise originadas pelo Covid-19 se espalharam de maneira muito rápida ao redor de todo o mundo, e que o Brasil está trabalhando com transparência para assegurar a economia do País. “A crise que a economia brasileira se defronta não é nada diferente da crise que outros países estão enfrentando agora. As medidas estão sendo tomadas. Então, mais uma vez, nós assumimos o nosso compromisso com a transparência”, ressaltou.

A ação vai beneficiar aproximadamente 20 milhões de brasileiros. O suporte deve injetar cerca de R$5 bilhões por mês na economia do País. O Projeto de Lei depende ainda de aprovação do Congresso Nacional.

Fonte: Simões Filho Online