O deputado estadual Soldado Prisco (PSC), líder do movimento grevista dos policiais militares, saiu frustrado da reunião que acabou há pouco na Assembleia Legislativa com deputados e a secretária estadual de Relações Institucionais, Cibele Carvalho, para tentar encerrar a paralisação. O motivo seria porque, ao chegar no encontro, Prisco foi informado pelo presidente interino da Casa, deputado Alex Lima (PSB), de que não se tratava de uma mesa de negociação, apenas um encontro para que fosse entregue a pauta de reivindicações da categoria.

Entretanto, esse mesmo documento já havia sido protocolado na própria secretaria desde o dia 20 de agosto – assim como foi entregue em outros órgãos, como o Tribunal de Justiça (TJ) e o Ministério Público Estadual (MPE). Com isso, Prisco saiu visivelmente frustado da reunião. Ele já se dirigiu à assembleia da categoria, que acontece na sede do clube da Adelba, em Patamares, onde se reunirá com policiais militares ligados à Aspra, entidade que coordena.

Em contato com o site Política Livre, Alex Lima disse que Prisco sempre soube que a reunião não se tratava de uma mesa de negociação. Ele disse que pela tarde ligou para Prisco e questionou se tinha interesse no encontro. “Ele se queixava de não ter ninguém do governo para entregar uma pauta de reivindicação e eu propus a ele uma audiência com um representante do Estado. Eu perguntei a ele se isso seria suficiente para encerrar o movimento iniciado e ele me disse que sim. Foi o que fiz, liguei para a secretária Cibele, que na maior delicadeza veio à Casa e recebeu a pauta. Nós cumprimos com a nossa parte, eu agora estou aguardando o deputado Prisco cumprir com a parte dele. Ele foi pra lá, pra assembleia, e espero que ele coloque um ponto final nesse movimento que tem feito tão mal à Bahia”, rebateu o deputado, ressaltando que a pauta deverá ser encaminhada pela secretária ao governador Rui Costa (PT), mas não soube dizer quando isso poderá acontecer.

Fonte: Politica Livre