Um grupo de pesquisadores que estudam a origem do óleo misterioso em praias de todo o Nordeste – incluindo a Bahia – trabalham com a hipótese do material estar vazando de navio afundado em 1944.

De acordo com o jornal O Globo, o químico oceanógrafo Rivelino Cavalcante, da Universidade Federal do Ceará (UFC), está coletando nesta semana amostras que serão enviadas para o Instituto de Oceanografia de Woods Hole (WHOI), nos EUA, que vai investigar a composição do material.

“Queremos saber se esse óleo é extraído mais recentemente ou se é um óleo mais velho”, disse à reportagem. Ele explicou que o fato do óleo estar “intermitente e fragmentado” indica “algo como uma mudança recente no navio afundado que criou esse vazamento”.

Recentemente grandes pedaços de borracha começaram a surgir também em praias do Nordeste. O material foi identificado como sendo “fardos” de látex. Carlos Teixeira, oceanógrafo da UFC, encontrou, então, a localização de um navio alemão afundado em 1944, a 1.000 km do Recife, que estava de fato transportando essa carga. Um dos fardos achados na Bahia indicava “Indochina Francesa”, que deixou de existir em 1953.

Fonte: Bahia.ba