O Centro Industrial de Aratu (CIA), deve gerar aproximadamente 4,2 mil empregos nos próximos anos por conta de investimentos que estão previstos para serem feitos na região. 31 empresas estão em processo de instalação na região, com aportes financeiros na ordem de R$ 4,6 bilhões.

“Estamos elaborando um plano de ação e intervenção no CIA, para melhoria estruturante das vias de acesso e manutenção rotineira do local. O planejamento técnico busca também fortalecer o atendimento aos empreendimentos lá instalados e prospectar novos investidores, com a oferta de incentivos fundiários ou fiscais, modelagem que será aplicada em todos os Distritos Industriais do Estado. A ideia é desenvolver a economia da Bahia e gerar novos postos de trabalho para os baianos e baianas”, afirma o vice-governador João Leão, secretário de Desenvolvimento Econômico.

Já entre as empresas em implantação, o destaque de investimentos fica com UTC Engenharia, com aporte de R$ 4 bilhões e geração de 1 mil postos de trabalho, durante a implantação em Candeias. Em Simões Filho, a Belov Off-shore investiu R$ 152 milhões na ampliação e emprega 500 pessoas, seguida da Aratu Log, que injetou R$ 137 milhões em investimentos e gerou 430 empregos diretos.

A atividade industrial do CIA, somada às operações do Polo Industrial de Camaçari, representam 10% do PIB baiano e 30% da arrecadação de ICMS do Estado, de acordo com a SEI. Fundado em 1967, o Centro Industrial de Aratu abrange o Complexo Industrial Multissetorial CIA Sul e CIA Norte. Em sua área, há operação de três terminais portuários – Porto de Aratu, Porto da Ford e o Porto da DOW Química. As ações de revitalização das vias internas do CIA estão sob responsabilidade da Associação de Empresas do Centro Industrial de Aratu (Procia) e do Governo do Estado, por meio da SDE.

Fonte: Varela Notícias