A Propex do Brasil instalada em Esplanada na gestão do Prefeito Rodrigo de Castro Lima (Podemos), em 2015 vem se tornando motivo de incerteza e medo para dezenas de seus colaboradores.

Além do que já se ouvia por funcionários e políticos de demissões e contratações esporadicamente a empresa após ser comprada vem demitindo em massa e não se sabe os rumos dela no município.

Ainda segundo rumores o antigo gerente o Sr. Anderson já foi desligado da empresa bem como nesta segunda-feira (19/08), mais 20 colaboradores estão fora do quadro de funcionários e permanece apenas cerca de 180 pessoas.

Em 2015 em sua inauguração com a presença do Governador Rui Costa (PT), 400 empregos diretos foram anunciados e em 2017 mais 300 vagas eram pretendidas caso o galpão que estava sendo ocupado pela empresa Kardiê fosse liberado pelo Governo Municipal, o que não aconteceu.

Indústria têxtil multinacional, a história da Propex teve início em 1910, nos Estados Unidos. Ao longo das décadas, a empresa inaugurou também unidades na Alemanha, Hungria, México e Brasil, tornando-se uma das maiores manufaturas de tecidos sintéticos de resinas termoplásticas.

Pioneira na fabricação de tecidos plastificados e sem emenda com 3,20 metros de largura, a Propex foi também a primeira indústria de ráfia do Brasil a conquistar a certificação ISO 9001.

Com 40 anos de experiência e tradição na manufatura de tecidos, a Propex do Brasil se destaca atualmente, também, pela produção de Big Bags.

Fonte: Se Liga Esplanada