O padre russo Fotiy Necheporenko foi afastado do ofício, após ter realizado um batismo considerado violento, no último final de semana, na Igreja Pero de São Petersburgo, na Rússia. A mãe da criança, Anastasia Alexeeva, de 24 anos, ficou desesperada com as atitudes do religioso, que mergulha, de forma agressiva, seu bebê em água benta diversas vezes.

“Ele [o padre] fez de tudo para machucá-lo. Viu que ele [o bebê] era grande, que não era possível mergulhá-lo em uma fonte tão pequena, mas ainda assim ele decidiu fazer do jeito dele. O pequeno estava chorando e se contorcendo, eu estava com medo, corri para ele e até levar a criança embora”, contou Anastasia.

Um vídeo, que mostra toda a cena, viralizou nas redes sociais e causou revolta aos internautas.

O padre se defendeu das acusações, alegando que a mãe do bebê “não conhecia a religião ou não era suficientemente devota”. “Então o que realmente aconteceu? Nada, não é minha culpa. Era tudo sobre as emoções alteradas da mãe. Ela é uma pessoa sem experiência na igreja. Ela não estava pronta para batizar”, disse.

De acordo com o jornal Metro Reino Unido, a igreja onde foi realizada a cerimônia informou que o batismo foi “violento” e suspendeu o religioso por um ano. Anastasia o denunciou formalmente e uma investigação foi iniciada.

Fonte: Aratu Online