Quem está esperando por uma nova oportunidade de trabalho deve ficar atento. Salvador vai ganhar um novo hospital e a expectativa é de que sejam geradas 3,5 mil vagas de empregos, diretos e indiretos. Esse será o primeiro empreendimento da Rede Mater Dei na Bahia e o lançamento aconteceu nesta segunda-feira (12).

A unidade vai funcionar na Avenida Vasco da Gama, próximo ao cruzamento com a Avenida Anita Garibaldi, e terá duas estruturas: o hospital e um centro médico. A previsão é de que as obras iniciem em setembro e de que ele comece a funcionar, parcialmente, em 2021, e totalmente em 2022.

A rede promete entregar um dos hospitais particulares mais modernos da cidade, com atendimento nas mais diversas áreas da saúde. Os interessados em uma das vagas de emprego devem cadastrar o currículo no site da empresa, na aba ‘Trabalhe conosco’. São cerca de 1.500 vagas para as obras e outras 2 mil para atuar no hospital.

A unidade terá 61,1 mil metros quadrados de área construída, 24 pavimentos e heliponto. Serão 369 leitos, sendo 40 deles de Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI) adulto e outros 40 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica. No total, 21 salas cirúrgicas e obstétricas estarão à disposição, e será oferecida medicina diagnosticada, prontos-socorros adulto e infantil, e oncologia.

Já o centro médico será construído em 9,9 mil metros quadrados, terá 19 pavimentos e 62 consultórios. Ele vai ficar a 90 metros do hospital, e vai concentrar também as áreas administrativas e de apoio à unidade. O presidente da Rede Mater Dei, Henrique Salvador, contou que esse será o primeiro hospital do grupo fora de Minas Gerais.

“Nós escolhemos Salvador porque acreditamos que ela é uma das principais capitais do país, em uma região muito importante, que é o Nordeste. A cidade tem um centro industrial importante, muitas empresas na área da prestação de serviços, e é estrategicamente localizada”, afirmou.

Ele contou que as unidades vão entrar em funcionamento aos poucos e que será aproveitada a mão de obra local. “As contratações vão ocorrer na Bahia, preferencialmente em Salvador. Inicialmente, para a obra e, depois, para a operação do hospital”, afirmou.

Serão investidos R$ 500 na construção do hospital e centro médico anexo, com capacidade para atendimentos particulares e conveniados.

“É importante ressaltar o tamanho do investimento a ser realizado aqui em Salvador pelo grupo Mater Dei, que é um dos maiores e mais conceituados do Brasil. Quando fomos procurados e vimos a dimensão do projeto, os olhos brilharam. Então a Prefeitura criou todas as facilidades possíveis, especialmente para desburocratizar e agilizar as licenças”, afirmou o prefeito ACM Neto que esteve presente no evento.

Currículo

Segundo a Associação Brasileira de Recurso Humanos (ABRH-Brasil), as informações mais valorizadas pelos recrutadores de currículos são experiência profissional (80%), formação e/ou cursos complementares (60%), cargo e/ou área pretendida (60%), objetivo profissional (50%) e conhecimento em outros idiomas (24%).

Um levantamento feito pela Catho, plataforma de recrutamento online, no começo deste ano revelou que três em cada dez dos currículos recebidos pelas empresas não passam para a próxima fase da seleção por conta de erro de ortografia. Para os especialistas quando o candidato comete esse tipo de erro passa para o selecionador a mensagem negativa, o que pode demonstrar pouco apreço, cuidado ou desatenção.

Confira as cinco mentiras que os recrutadores mais encontram nos currículos:

1. Não dizer a verdade sobre experiências profissionais Na falta de uma qualificação e de experiência no mercado, muita gente acaba dizendo que trabalhou nesse ou naquele lugar. Não tente descrever experiências e conhecimentos que não possui. O recrutador pode pedir mais detalhes ou buscar referências com o antigo gestor.

2. Formação e qualificação Outra mentira que aparece constantemente no currículo diz respeito à qualificação e formação acadêmica. Alguns profissionais lançam no currículo cursos de especialização que não fizeram ou aumentam a carga horária de cursos de aperfeiçoamento profissional, como se fossem de longa duração.

3. Habilidades técnicas Muitos candidatos, por achar que terão vantagem sobre os demais, mencionam conhecimentos técnicos no currículo que, de fato, não possuem. É importante destacar que, cada vez mais, as empresas valorizam e procuram competências e comportamentos do profissional que estão em sintonia com a sua cultura e os seus valores. Esse sim é o diferencial.

4. Mentir sobre resultados alcançados Mais uma pegadinha que compromete o profissional durante o processo seletivo. Sim, os recrutadores buscam informações com a empresa anterior. Não fique pra você com o crédito de uma equipe ou invente uma conquista para levar vantagem e conseguir a vaga.

5. Domínio de outro idioma Muita gente costuma até passar vergonha. Alguns profissionais acabam descrevendo o domínio em um segundo idioma para se adequar às exigências da vaga e, quando chega no momento da entrevista, podem passar um grande constrangimento. Isso queima completamente a reputação durante o processo.

Fonte: Correio