Diante da derrota do presidente argentino Mauricio Macri nas eleições primárias da Argentina, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que um eventual retorno da ex-presidente Cristina Kirchner ao poder vai colocar o país vizinho “no caminho da Venezuela”. Realizado nesse domingo (11), o pleito citado definiu quem serão os candidatos de cada partido, além de servir como uma espécie de pesquisa eleitoral.

“Povo gaúcho, se essa esquerdalha voltar aqui na Argentina, nós poderemos ter, sim, no Rio Grande do Sul, um novo estado de Roraima. E não queremos isso: irmão argentinos fugindo pra cá, tendo em vista o que de ruim parece que deve se concretizar por lá caso essas eleições realizadas ontem se confirmem agora no mês de outubro”, alarmou o presidente brasileiro.

Situado na fronteira do Brasil com a Venezuela, o estado de Roraima tem recebido milhares de venezuelanos, que buscam fugir da crise econômica e política que se instalou no governo de Nicolás Maduro. Com isso, o estado também passou a enfrentar uma crise por não ter condições de receber tantos imigrantes.

“Você [repórter que fez pergunta] deve saber o que está acontecendo com Roraima: está recebendo um aporte muito grande de refugiados que estão fugindo da ditadura e da fome. Por quê? Dado o socialismo que deu certo com Chávez e com Maduro. A volta da Cristina Kirchner ali, no meu entendimento, é que estará a Argentina no caminho da Venezuela. E nós não queremos nossos irmãos argentinos fugindo pra cá”, argumentou o capitão.

As declarações de Bolsonaro foram feitas em Pelotas, no Rio Grande do Sul, na manhã desta segunda-feira (12). O presidente esteve na cidade para participar da cerimônia de inauguração de trechos da duplicação da BR-116.

Fonte: Bahia Notícias