Um bebê de 8 meses nasceu morto na recepção do Hospital Geral de Camaçari (HGC), na região metropolitana de Salvador, na terça-feira (6).

Os pais da criança contam que houve demora no atendimento e acusam a unidade de saúde de negligência. A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), responsável pela unidade, afirma que o bebê estava morto há cerca de 3 dias e que a mãe estava em processo expulsório.

Ariano Duarte conta que a mulher, Aline Oliveira, teve dores fortes durante a madrugada e eles foram para o hospital. Ao chegar na unidade de saúde, por volta das 5h, fizeram a ficha e esperaram até 6h40, quando Aline começou a dar à luz.

Ariano diz que precisou ajudar a esposa durante o parto, porque não houve atendimento do hospital. Um vídeo feito por testemunhas mostra o homem segurando o filho, em frente à esposa, logo após o nascimento do bebê.

Ariano conta que segurou o corpo da criança nos braços por cerca de 20 minutos, até que funcionários da unidade de saúde chegaram, pegaram a criança e a mãe e levaram para o interior do hospital. Em seguida, a morte da criança foi atestada.

“Eu disse a enfermeira que minha esposa tinha sentido as dores. Falei a ela várias vezes e a enfermeira disse que não podia fazer nada. Nenhum médico foi falar com a gente. Tive que fazer o parto e ninguém ajudou. Só vieram às 7h05 falar com a gente e disseram que a criança estava morta. Só pegaram minha mulher nesse momento”, conta Ariano.

Em nota, a Sesab diz, ainda, que a mulher foi “prontamente acolhida pela equipe do hospital” após a ocorrência na recepção, mas não explicou o motivo da demora no atendimento.

Fonte: G1