A morte do pastor Anderson Carmo, assassinado neste domingo (16) no Rio de Janeiro, foi planejada pelo filho adotivo do casal, de 18 anos, segundo a Polícia Civil, que afirma ainda que o jovem confessou o crime e apontou um filho biológico de Flordelis de ter sido o mandante do crime.

O motivo do assassinato teria sido a descoberta de traição supostamente envolvendo o pastor. A Polícia solicitou a quebra de sigilo telefônico dos envolvidos. Apesar de não ter sido pai biológico de nenhum dos dois, o pastor foi quem os registrou.

A delegada Bárbara Lomba, que investiga o caso, afirmou que o pastor pode ter sido executado pela falta de roubo no local do crime: “Pelo que apuramos, no crime, não investigamos latrocínio. Não foi possível ao perito legista confirmar as lesões de entrada e saída das balas, exceto de uma perfuração na cabeça”, disse.

Câmeras de segurança da casa do casal, onde o crime ocorreu, mostram os assassinos de touca ninja matando o pastor. Segundo investigadores que tiveram acesso às imagens, os criminosos não eram profissionais: “diante do modus operandi do crime”. Segundo Bárbara, as as imagens do crime mostram a ação com nitidez: “são ótimas”.

Fonte: Varela Notícias