O jogo entre Brasil e Jamaica pela segunda rodada da fase de grupos da Copa do Mundo feminina de futebol foi rico em emoções, mas no final a seleção brasileira saiu triste de campo. No primeiro tempo o Brasil chegou a abrir 2×0 com gols de Marta, que retornou de lesão, e Cristiane. Mas a Austrália, cabeça de chave do grupo C, conseguiu a virada para 3×2 com gols de Foord, Logarzo e Mônica, contra.

Em questão de poucos minutos, o Brasil, que até então assegurava a classificação antecipada para a segunda fase, se viu em apuros. A tarde que parecia perfeita ganhou contornos dramáticos e agora o Brasil aguarda o resultado de Jamaica x Itália, na sexta-feira (14), para definir sua posição ao fim da segunda rodada. No momento, as brasileiras lideram a chave, à frente de italianas e australianas devido ao saldo de gols.

A partida desta quinta-feira (13) marcou o retorno de Marta, que se recuperou de lesão e estreou no quinto Mundial da carreira. As brasileiras começaram melhor e, jogando um pouco mais recuada, Marta fazia um trio interessante com as volantes Formiga e Thaisa, liberando o avanço das laterais.

Foi pelo lado do campo que nasceu o primeiro gol. Letícia Santos apareceu dentro da área, foi derrubada e a arbitragem não titubeou para marcar o pênalti. Marta foi para a cobrança, deslocou a goleira Williams e marcou o 16º gol dela em Copas do Mundo. A camisa 10 se igualou ao alemão Miroslav Klose na artilharia geral do torneio.

O gol deu tranquilidade ao Brasil e abalou as australianas. O time de Vadão conseguiu controlar o jogo trocando passes, cadenciando a partida e aguardando a oportunidade para encaixar uma jogada.

Isso aconteceu aos 38 minutos. Tamires deu uma “caneta” na volante da Austrália e enfiou a bola para Debinha, que puxou para a esquerda e cruzou na cabeça de Cristiane. A goleadora não perdoou: antecipou-se à marcação para fazer de cabeça o segundo gol do Brasil.

Tudo indicava que o time viraria o tempo com dois gols de vantagem, mas a Austrália acordou. Cruzamento na área e Caitlin Foord se esticou toda para diminuir. Fim de primeiro tempo e 2×1 no placar.

Tomou a virada

No segundo tempo, a Austrália conseguiu se impor tanto no físico quanto no ponto psicológico. Marta foi substituída no intervalo para a entrada de Ludmila, o que reduziu o poder criativo da Seleção – e Formiga, já com cartão amarelo, deu lugar a Luana. Sem ser tão incomodada, a equipe do técnico Milicic se ousou mais e contou com a falha de Bárbara para empatar a partida. Chloe Lagarzo arriscou um cruzamento no bico da grande área, ninguém alcançou no meio do caminho e a bola quicou direto para o gol.

O jogo indicava que era questão de tempo para a Austrália virar. O campo defensivo do Brasil estava sitiado. Para piorar, as australianas contaram com outra falha brasileira para tomar a frente do placar e embolar o grupo C: novo cruzamento vindo da direita, Mônica tentou cortar e acabou castigando as próprias redes. Era a virada da seleção da oceania.

A bandeira marcou impedimento de Kerr no lance, mas após observação do VAR a árbitra interpretou que não houve participação direta da centroavante e validou o gol.

O Brasil segue com três pontos e, temporariamente, na liderança do seu grupo. Na próxima sexta-feira (14) a Itália enfrenta a Jamaica na cidade de Reims e precisa de um empate para tomar a ponta do grupo.

Fonte: Correio