A modelo baiana Najila Trindade, que acusa o jogador Neymar de agressão e estupro, falou pela primeira vez à imprensa, com exclusividade ao jornalista Roberto Cabrini. No trecho da entrevista – cuja íntegra será exibida no programa Conexão Repórter – foi transmitida nesta quarta-feira (5/6), no SBT Brasil. Na oportunidade, a jovem afirmou que sofreu “agressão, juntamente com estupro”.

Najila também disse que o atacante da Seleção Brasileira bancou as suas despesas de voo e hospedagem, em Paris, no mês de maio. Eles começaram a trocar mensagens pela rede social Instagram. “Conversei com ele como uma pessoa comum. Era um intuito sexual. Era um desejo meu. Acho que ficou até claro pra ele isso”.

Ainda na entrevista, a baiana falou que o suposto estupro aconteceu depois que ela se recusou a manter relações sexuais sem o uso de preservativo. Então, segundo a modelo, ele forçou a relação. “Ele me virou, cometeu o ato. Enquanto ele cometia o ato, ele batia na minha bunda violentamente”. “Depois, acabou, eu me virei e saí. Foi tudo muito rápido. Depois, no banheiro, não consegui falar nada para ele. Fiquei em estado de choque. Fiquei estarrecida.”

Cabrini a questionou sobre o motivo de continuar conversando com Neymar mesmo após o suposto crime, ao que ela respondeu que não assimilou tudo imediatamente. “Depois que eu entendi que ele me violou e me violentou, eu decidi fazer justiça. No primeiro momento eu não consegui reagir devido aos traumas”, disse.

Sobre o fato de o ex-advogado dela ter dito que o caso era sobre agressão e não estupro, Najila disse que sentiu que ele não acreditava em sua história e sugeria que a agressão seria mais fácil de provar. “Senti preconceito da parte dele”, afirmou. Ela negou ainda que tenha tentado extorquir Neymar e garantiu que deseja justiça. “Quero que ele pague pelo que fez.”

3

Fonte: Aratu Online