Toda última quinta-feirado mês, das 17h às 20h, pessoas LGBT e quem mais desejar participar, têm a oportunidade de trocar experiências, conversar e aprender, em uma reunião organizada pela Secretaria de Assistência Social(SEMAS), por meio do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS), em parceria com a Aliança pela Promoção LGBT+ de Alagoinhas (LIDA LGBT+). É o “Quebrando o Tabu”, realizado na área de alimentação da Praça Rui Barbosa.

Em sua 4ª edição, o tema nesta quinta (30), foi o “Protagonismo LBGT+”, e contou com as participações da representante da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM/Ba), diretora LGBT da Unegro/Ba, e Coordenadora de Gênero do GGB, Milena Passos , da servidora da Semas e Diretora LGBT da Lida /LGBT+, Luciana Mendes e do Advogado Ramon Pestana.

Os mediadores discorreram sobre as particularidades, preconceitos e dificuldades enfrentados nas suas trajetórias pessoais e profissionais, desde a fase escolar. “Eu cresci numa comunidade carente de Alagoinhas, no Alto do Cruzeirinho e minha vida não foi fácil, não era aceito pela minha família e era alvo de chacota pelos colegas da escola. Sofri muito, mas não me vitimizo. Fui morar em Salvador, me dediquei muito aos estudos e quando não tive mais a convivência com meus pais para me inibir, me senti livre para ser a pessoa que sou hoje. Mas não nego que ainda tenho alguns resquícios deste período, que eu ainda não sofra com o preconceito velado, quando percebo que estou sendo ridicularizado em audiências, ou mesmo com o estranhamento das pessoas no escritório, quando digo que sou eu, o advogado”, relatou Ramon, que é especialista em Direito Previdenciário e autor de artigos sobre direitos LGBT. “Apesar dos avanços, a população LGBT ainda não se vê em posições de poder no mercado de trabalho, e só há um modo de a sociedade reconhecer os direitos e a dignidade do segmento LGBT, que é cada vez mais, brigar, andar de cabeça erguida, denunciando as arbitrariedades e lutando contra o preconceito e pela Educação. A Educação é a única saída para que não seja mais impostos limites à população LBGT”, avaliou o advogado.

Mulher trans e com o vasto currículo de mais de 20 anos na militância LGBT nos âmbitos estadual e nacional, com participações em pautas e ações promovidas pelo Grupo Gay da Bahia e Aliança Nacional LGBTI, Milena Passos falou sobre as estratégias de visibilidade do Movimento e seus esforços em produzir a sua “verdade”, com o intuito de extinguir discriminações em decorrência da orientação sexual e identidade de gênero. A secretária executiva da SPM, citou que, muitas vezes, essas mudanças vêm do judiciário e não de parlamentares, e que existem hoje discursos “muito fortes” contra direitos já obtidos. ” A comunidade LGBT tem um envolvimento histórico com a prostituição e posições subalternas no mercado, e ainda está muito vulnerável a ataques violentos e a assassinatos, por isso, é importante ter o reconhecimento pleno, pela via legislativa, da igualdade LGBT e da criminalização da LGBTfobia”. Outros pontos importantes são a extinção da opressão homotransfóbica sem que mais ódio seja gerado, e a união entre os movimentos negro, feminista e LGBT”, pontuou Milena.

“A LGBTfobia é a aversão irracional, o ódio e desprezo desproporcional persistente e repugnante sobre esta população e o Quebrando o Tabu, uma iniciativa da prefeitura, em parceria com Lida, foi criado para que a cidade tivesse um espaço de diálogo em que fossem promovidos a sensibilização social, o compartilhamento de informações sobre as estratégias e avanços desse movimento tão invisível e marginalizado, e principalmente, gerar discussões sobre políticas públicas para a garantia dos direitos deste segmento”, pontuou a diretora da Lida, bacharel em Assistência Social e servidora da Semas, Luciana Mendes.

Fonte: SECOM PMA