O Papa Francisco enviou uma carta ao ex-presidente Lula, em resposta a uma correspondência que o brasileiro tinha lhe enviado no mês de março. Na carta, o pontífice lamenta “as duras provas que o senhor viveu ultimamente”. A carta foi divulgada pela jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, nesta quarta-feira (29).

No texto, o papa cita as mortes de dona Marisa, do irmão de Lula, Genival Inácio, e do neto dele, Arthur. Ele diz ainda que reza pelo ex-presidente, que está preso desde abril de 2018 em Curitiba.

“Quero lhe manifestar minha proximidade espiritual e lhe encorajar pedindo para não desanimar e continuar confiando em Deus. Ao assegurar-lhe a minha oração a fim de que, neste tempo pascal de júbilo, a luz de Cristo ressuscitado o cumule de esperança, peço-lhe que não deixe de rezar por mim”, diz um trecho da carta.

Francisco também fala no texto sobre a importância da política na sociedade. “Tal como meus antecessores, estou convencido de que a política pode tornar-se uma forma eminente de caridade, se for implementada no respeito fundamental pela vida, a liberdade e dignidade das pessoas”, escreveu.

A advogada Carol Proner, que teve acesso ao documento, comentou sobre a correspondência. “É uma carta que carrega muitas mensagens, além daquelas de afeto”, diz.

Fonte: Agência Brasil