O prefeito Joaquim Neto assinou, na última quinta-feira (30), um documento histórico para a realidade das condições de trabalho dos feirantes, em Alagoinhas. A ordem de serviço para a construção do galpão do setor de confecções foi dada ontem, no auditório da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente.

Com o maior investimento da história da Central de Abastecimento, desde a sua inauguração, em 1988, a Prefeitura vai trazer novas perspectivas para as vendas de quem comercializa os produtos na feira.

Serão quase R$ 4 milhões de reais saindo integralmente do fundo municipal para fazer a diferença na vida de milhares de trabalhadores que aguardaram 30 anos para ver a reforma sair do papel.

Com 402 boxes, 5.800m2 de área construída e mais de 4 mil feirantes beneficiados, a Prefeitura ressalta o jargão “trabalho, trabalho, trabalho” e dá mais um grande passo à frente com melhorias efetivas para a população.

“Assumimos a Central de Abastecimento em janeiro de 2017 e encontramos uma terra arrasada. Só quem viu a situação em que se encontrava o espaço tem a dimensão real do que havia ali. Portões quebrados, depredação do equipamento público, descaso de todo tipo, ao ponto da Polícia chegar a afirmar que o principal foco de violência no centro da cidade era a região da Central, no período da noite. De lá pra cá, conseguimos muitos avanços. Estabelecemos horário de abertura e fechamento dos portões, trouxemos melhores condições, ordenamento, policiamento e segurança. O galpão que será construído atenderá a permissionários que, por décadas, dividem um local insalubre, amontoados, abrigados em barracas precárias, com cobertura de plástico, instalações elétricas improvisadas. O prefeito recebeu o apelo dos feirantes, ouviu, debateu e agora chega para atender às solicitações. Joaquim está construindo o maior legado que Alagoinhas já teve na história de um prefeito”, destacou o secretário municipal de agricultura, Geraldo Almeida.

O prefeito Joaquim Neto ressaltou a participação da Câmara Municipal, no que tange aos recursos de financiamento para as obras, agradeceu aos vereadores, pelo apoio, e rememorou a eternizada canção baiana do consagrado Gerônimo dizendo “Seja tenente ou filho de pescador, ou importante desembargador” para lembrar que a Central de Abastecimento é um espaço frequentado por todos, moradores ou visitantes, de todas as classes sociais, de todas as religiões e todas as cores.

E, se não brilhou ainda a cidade, com o novo galpão que abarca a trabalhadores e visitantes, brilharam os olhos de quem presenciou a assinatura do documento que, segundo o próprio prefeito, dará início “à maior obra da Central de Abastecimento que Alagoinhas já viu”.

Para a feirante Valdelice Maria de Jesus, que há 15 anos tem uma barraca no setor de confecções, a notícia trouxe novos motivos para sonhar alto. “Misericórdia, é um sonho! Eu estou muito feliz e, com fé em Deus, vou ficar mais feliz ainda com a obra realizada. Tudo vai melhorar”, comentou, depois de ver o prefeito assinar a ordem de serviço.

A Secretaria Municipal de Agricultura (SEMAG), responsável pela Central de Abastecimento, salientou que, além de trazer melhorias às condições de trabalho e ao trabalhador local, as obras significarão um salto também na geração de renda e na comercialização dos produtos, já que o cidadão poderá desfrutar de um espaço mais seguro e confortável para fazer as compras.

O acompanhamento técnico das obras será realizado pela Secretaria Municipal de Infrestrutura (SECIN), que apresentou, aos feirantes do setor de confecções, 3 opções de disposição dos boxes que serão construídos. As intervenções serão iniciadas pela empresa STM Serviços Técnicos e Manutenção Eireli, vencedora da licitação, e a previsão é de que o projeto seja executado em menos de 6 meses, segundo o responsável técnico da empresa.

Participaram da solenidade de assinatura do documento os vereadores Roberto Torres, José Cleto, Jorge de Santana (“Jorge da Farinha”) e Noberto Alves (“Babé do Riacho”). Os representantes das forças empresariais do município, Benedito Vieira, do Sicomércio, e José Carlos, da ACIA, também estiveram no local.

O cerimonial foi conduzido por Gustavo Carmo, secretário de governo e de comunicação, que relembrou o empenho de Judélio Carmo, na década de 80, no local, e ressaltou a importância da obra estruturante para o município. “Vi o esforço, na década de 80, de um homem que teve a coragem de fazer esse enfrentamento. Era uma obra audaciosa, que o orgulhava muito. Agora, mais um homem teve a coragem de enfrentar o desafio com trabalho. É uma grande obra estruturante que demostra o compromisso que a Administração Municipal tem com a população de Alagoinhas”, finalizou.

Fonte: SECOM PMA