Vereador de Simões Filho é obrigado a fazer retratação e pagar indenização a jornalista por danos morais no WhatsApp

Você tem o costume de gravar áudios para divulgar em grupo de WhatsApp e encaminhar para outras pessoas? Se a resposta é sim, é melhor repensar suas ações. A Justiça da Bahia determinou, por meio de um acordo judicial, que o vereador e atual presidente da Câmara de Vereadores de Simões Filho, Orlando de Amadeu (PSDB), pague um valor indenizatório por danos morais a vítima após a divulgação de um áudio em um grupo do qual fazia parte.

O caso, que envolve a jornalista Geórgea Alves, ex-assessora de Comunicação da Prefeitura Municipal de Simões Filho, aconteceu em setembro de 2017. No áudio, compartilhado pelo vereador Orlando de Amadeu através do WhatsApp, é possível ouvir a voz do prefeito Diógenes Tolentino e do próprio Orlando conversando sobre Geórgea. Orlando chega a afirmar que a ex-assessora não fazia nada e passava o cartão dela para o ex-prefeito Eduardo Alencar (PSD). “Geórgea não fazia nada. Só fazia dar… Entregar o cartão de crédito ao prefeito”, disse o parlamentar no áudio que pode ser ouvido logo abaixo.

O Processo Judicial
Ofendida com a repercussão negativa que o caso teve na cidade, Geórgea chegou a escrever uma carta aberta à sociedade através da imprensa local onde a mesma repudiava a fala do parlamentar.

Em seguida, a jornalista resolveu mover uma ação judicial contra o vereador, que resultou em um acordo judicial que obriga Orlando a pagar uma indenização por danos morais, além de se retratar publicamente com um pedido de desculpas para a comunicóloga.

A audiência de conciliação foi realizada no dia 18 de fevereiro deste ano na 1ª Vara de Juizados Especiais de Simões Filho e aconteceu sob orientação do Ministério Público. Orlando aceitou o acordo e comprometeu-se a pagar a Georgia, a título de danos morais, o valor correspondente a R$ 6.800,00.

O vereador se comprometeu, ainda, a realizar retratação pública em sessão ordinária no plenário da Câmara de Simões Filho afirmando arrepender-se de qualquer ato que tenha maculado a honra de Georgia. A homologação do acordo aconteceu nesta quarta-feira (13/03) e o processo foi arquivado.

O pedido de desculpas
A retratação proferida por Orlando aconteceu nesta terça-feira (12/03), conforme determinou a justiça, sob pena de o edil ser obrigado a pagar multa diária, caso deixasse de fazê-la.

Com poucas palavras e já quase que nas considerações finas da palavra franqueada, Orlando declarou que o áudio divulgado nas redes sociais foi propagado de maneira maculada, no sentido de denegrir a sua imagem e consequentemente a da ex-assessora de comunicação.

“Geórgea foi citada de uma forma por aqueles que tentaram macular a imagem da mesma bem como a minha imagem, de forma agressiva e desrespeitosa. Aproveito esse momento e digo que não foi da forma que foi maculado e se te ofendi me desculpe porque não foi minha intenção, eu te conheço, conheço sua família e sei que são pessoas de respeito. Só tenho a pedir perdão pelo ocorrido e por qualquer ato que tenha maculado a sua honra, aproveito em seu nome Geórgea Alves de Oliveira desejo a todas as mulheres simõesfilhense um Feliz Dia da Mulher”, declarou o edil no final da sessão.

Após a fala de Amadeu, Geórgea voltou a se posicionar publicamente, afirmando que a vitória sob Orlando representa uma conquista para ela e para todas as mulheres que diariamente são desvalorizadas e humilhadas por uma sociedade machista.

“Ainda em referência a semana nacional de celebração a luta das Mulheres, chegamos ao fim dessa batalha, mas lembrando que essa é uma guerra diária na qual nós mulheres temos a todo momento que reafirmar a luta pela nossa competência, nossa igualdade, nossos direitos. Enfim, diariamente somos postas a provas nos nossos lares, nos nossos trabalhos e em toda essa sociedade machista que nos desvaloriza, humilha e desrespeita todas NÓS pelo simples fato de sermos MULHERES. Então essa vitória não é só por mim, é também, por todas as mulheres que são desrespeitadas e temos os nossos direitos violentados no dia a dia. Espero aumentar o coro da esperança, na qual não devemos abaixar a cabeça, e sim, lutar sempre pelos nossos direitos. Que tudo isso sirva de exemplo para que outras pessoas não cometam o mesmo erro. E, antes de falar que pensem nas consequências”, concluiu a jornalista.

Fonte: Simões Filho Online