Acusado de coação e corrupção de testemunha, filho de João de Deus é preso - Portal Alagoinhas News – Últimas Notícias de Alagoinhas-BA e Região

Post Top Ad

domingo, fevereiro 03, 2019

Acusado de coação e corrupção de testemunha, filho de João de Deus é preso

O filho do médium goiano João de Deus, Sandro Teixeira de Oliveira, foi preso na manhã de hoje (2/2), em Anápolis (GO). A prisão foi decretada ontem (1º) pela juíza Rosângela Rodrigues, da comarca de Abadiânia. Oliveira é acusado de coação e corrupção de testemunha. Segundo a assessoria da Secretaria de Segurança Pública de Goiás, Sandro será levado para o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Ele foi denunciado pelo Ministério Público de Goiás no dia 25 de janeiro. De acordo com os promotores, o filho de João de Deus estava armado quando coagiu uma testemunha um dia após ela ter comparecido à delegacia. Além da coação, o Ministério Público do estado afirmou que Sandro ofereceu “vantagens para obter o silêncio dessa testemunha, oferecendo pedras que seriam preciosas”.

Acusado pelo MP estadual dos crimes de estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude, João de Deus está preso, em caráter preventivo, desde 16 de dezembro. Baseado nos depoimentos e elementos apresentados por dezenas de mulheres que se apresentam como vítimas do médium, os promotores goianos já apresentaram duas denúncias contra ele.

Entre as várias mulheres que afirmam ter sido molestadas por João de Deus durante atendimentos na Casa Dom Inácio de Loyola, há quem afirme ter sofrido abusos sexuais quando criança ou adolescente. No último dia 15, ao apresentarem a segunda denúncia contra o médium, os promotores estaduais disseram haver evidências de que ele violou sexualmente de várias mulheres diante de outras pessoas que acompanhavam as sessões de atendimento espiritual que aconteciam no centro espírita.

Morre ativista que ajudou a reunir mulheres para denunciar João de Deus

Sabrina Bittencourt, ativista que ajudou a revelar os abusos sexuais cometidos pelo médium João de Deus, morreu neste sábado (2/2). Uma nota de falecimento assinada por Maria do Carmo Santos, presidente da ONG Vitimas Unidas, com a qual Sabrina atuava, informou que a ativista, que tinha 38 anos, cometeu suicídio.

“O grupo Vítimas Unidas comunica com pesar o falecimento de Sabrina de Campos Bittencourt ocorrido por volta das 21h deste sábado, 02 de fevereiro, na cidade de Barcelona, na Espanha, onde vivia atualmente. A ativista cometeu suicídio e deixou uma carta de despedida relatando os porquês de tirar sua própria vida”, diz o texto, que pede também que a família da ativista seja preservada.

 “Pedimos a todos que não tentem entrar em contato com nenhum integrante da família, preservando-os de perguntas que sejam dolorosas neste momento tão difícil. Dois dos três filhos de Sabrina ainda não sabem do ocorrido e o pai, Rafael Velasco, está tentando protegê-los”, afirma a nota.
Ainda não há informações sobre o local do velório, nem onde ela será enterrada. “A luta de Sabrina jamais será esquecida e continuaremos, com a mesma garra, defendendo as minorias, principalmente as mulheres que são vítimas diárias do machismo.”

Sabrina se dedicou durante meses a reunir relatos de vítimas sobre crimes que teriam sido cometidos por João de Deus. Ela encorajou as primeiras mulheres a relatarem os casos de abuso sexual sofridos.

Ela também era ativista social pelos direitos humanos e bem-estar animal e atuava como voluntária na defesa de grupos vulneráveis há 20 anos. Em entrevista à revista Marie Claire, Sabrina afirmou ter sofrido abusos na infância de membros da igreja frequentada por sua família. Aos 16 anos, a ativista engravidou de um dos estupradores, mas acabou abortando. Ela também esteve por trás das denúncias de abuso de mulheres contra Prem Baba. Alvo de diversas ameaças de morte, vivia fora do Brasil e mudava de endereço frequentemente.

Fonte: Aratu Online
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Portal Alagoinhas News.

Post Bottom Ad