sábado, setembro 01, 2018

Apresentações culturais marcam encerramento da Campanha Agosto Lilás em Alagoinhas

 sábado, setembro 01, 2018  |  Redação PAN  Notícias do Estado da Bahia

A Secretaria de Assistência Social(SEMAS), por meio da Coordenação de Políticas Públicas para as Mulheres, abriu oficialmente a campanha Agosto Lilás no dia 07 de agosto. O objetivo foi sensibilizar a sociedade para o fim da violência contra mulheres e meninas por meio de ações de mobilização, palestras, debates, encontros, panfletagens, eventos e seminários visando à divulgação da Lei Maria da Penha, estendendo-se as atividades durante todo o mês de agosto, para o público em geral.

Como encerramento dessas múltiplas atividades, foi realizado, na manhã desta sexta-feira (31), um grande encontro em frente à prefeitura municipal. O evento contou com as presenças de representantes das instituições que integram a Rede Municipal de Proteção à Mulher, que se revezaram ao microfone para passar informações sobre o trabalho desenvolvido no município.

“O objetivo foi marcar a Campanha Agosto Lilás como uma das importantes ações que fizeram e farão frente aos elevados números de casos de violência doméstica praticados contra a mulher”, ressaltou a coordenadora de Políticas Públicas para as Mulheres, Cristiane Nascimento. “Enfatizamos essa campanha neste mês por causa da Lei Maria da Penha, que faz aniversário nesse período. É onde trazemos várias atividades em destaques em todos os cantos da cidade, mas esse é um trabalho importante que prossegue o ano inteiro”, continuou.

Como parte da programação, a Pastoral do Menor trouxe uma emocionante apresentação de dança do Projeto Arte pela Vida, que também fez a leitura de cordéis sobre temas ligados ao enfrentamento à violência doméstica.

Como parte do Agosto Lilás, o CRAS de Nova Brasilia promoveu, na tarde desta quinta-feira (30), o encontro do “Basta/Por uma vida livre de violência para Elas”. A atividade possibilitou vivências intergeracionais, momentos de reflexões, cuidado, partilha de vivências e de disseminação de informações com a participação do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos das Mulheres (COMDEDIM).

Na avaliação do secretário da SEMAS, Alfredo Menezes, o principal objetivo da campanha foi atingido. “Foi ótimo, muito bem aceito pela comunidade. Estamos tendo um retorno por causa desse movimento, dessa conscientização. Isso mostra que todo esse trabalho é gratificante e precisa sim ser intensificado”.

Rede de Proteção

O Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM) é um espaço de acolhimento, encaminhamento e orientação. Nele, as mulheres em situação de vulnerabilidade encontram suporte através de atendimento interdisciplinar; psicológico, jurídico e social. Formado por uma equipe totalmente feminina as mulheres são acolhidas, relatam suas vivências e são encaminhadas para atendimento conforme suas necessidades.

Patrulha Maria da Penha

Em conjunto com a Guarda Municipal a SEMAS, em 2017, a Semas instalou no município a Patrulha Maria da Penha para atender mulheres sob medida protetiva, realizando visitas, acompanhamentos e encaminhamentos para o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), além da proposta de tratar também o agressor. As assistidas chegam no Centro de Referência por alguns canais, seja via DEAM, SEMAS ou mesmo contato direto com a instituição.

DEAM

Em parceria com o governo estadual, a SEMAS trabalha diretamente com a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), recepcionando mulheres e fazendo encaminhamentos necessários de acordo com o tipo de agressão sofrida pela vítima.

Casa abrigo

Casa de Acolhimento Provisório Nulce Pereira Gonçalves foi inaugurado em 2009 com a finalidade de acolher mulheres e seus filhos quando em situação de risco, em casos extremos, sendo impossível a vítima permanecer no lar de origem ou com familiares.

Na casa elas recebem alimentação e assistencial social, psicológica e jurídica, realizam atividades, participam de rodas de conversa e vão ao CRAM para oficinas, receber assistência e interagir com outras mulheres”. Por abrigar mulheres que em geral correm risco de morte, a casa fica localizada em um bairro central, sem identificação e seu endereço é completamente sigiloso.

Fonte: SECOM PMA 


Publicidade:

Compartilhe a Notícia


COMENTE COM SUA CONTA VIA FACEBOOK
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Portal Alagoinhas News. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.
Caro Leitor,

Este texto não reflete, a opnião do Portal Alagoinhas News, agradecemos sua visita, volte sempre.

Política de PrivacidadeTermo de Uso
Portal Alagoinhas News | O site de notícias de Alagoinhas - Bahia e Região!

Todos os Direitos Reservados a Silva Serviços - Desenvolvido Por: Bloggertheme9

Copyright © 2012 - 2018
back to top